Dia do Rio Paranapanema é comemorado em 27 de agosto

27 de agosto: dia do Rio Paranapanema

A data foi instituída pela Lei Estadual Paulista nº 10.488/99

Localizado na divisa dos estados de São Paulo e Paraná, o Rio Paranapanema percorre 929 Km de desde sua nascente na Serra Agudos Grandes até a sua foz na confluência com o Rio Paraná. Mais que uma divisa, o Rio Paranapanema é um eixo de integração que une dois estados: São Paulo e Paraná.
As vertentes Paulista e Paranaense deste rio apresentam grande identidade, social, cultural e principalmente econômica. Com grande acervo ambiental preservado, sobretudo nas porções de cabeceiras, a bacia hidrográfica do Rio Paranapanema também se destaca pela agricultura de ponta e um extraordinário potencial para a irrigação, tanto pela excelência de seus solos, quanto pelo enorme disponibilidade hídrica. Possui grande produção agropecuária nas porções mais baixas da bacia, além de alto desenvolvimento do setor sucroalcooleiro.

Outro importante destaque é a alta disponibilidade de Recursos Hídricos, muito bem aproveitada para a geração de hidroeletricidade ao longo de seu curso, o que também oferece relevante potencial turístico para toda a comunidade.

Nos últimos anos a gestão da bacia obteve grandes avanços, sobretudo com a instalação do Comitê Interestadual do Rio Paranapanema, em 05 de junho de 2012 através de Decreto Presidencial, resultado de uma processo de articulação entre os dois estados (SP e PR) que se iniciou na década de 70, inaugurando uma nova fase na gestão deste importante rio.
Atualmente o desafio é a conclusão do Plano Integrado de Recursos Hídricos da bacia, que trará novas perspectivas para a gestão do rio.

Ponte das Rodovias SP-421 e PR-170 sobre o rio Paranapanema na divisa entre São Paulo e Paraná. Reservatório da hidrelétrica de Capivara

Ponte das Rodovias SP-421 e PR-170 sobre o rio Paranapanema na divisa entre São Paulo e Paraná. Reservatório da hidrelétrica de Capivara

Cânion do rio Tibagi em Sapopema (PR) e mata nativa

Cânion do rio Tibagi em Sapopema (PR) e mata nativa

Confluência do ribeirão Esperança com o rio Tibagi em Sapopema (PR) e mata nativa. Cânion

Confluência do ribeirão Esperança com o rio Tibagi em Sapopema (PR) e mata nativa. Cânion

Rio Paranapanema na divisa entre São Paulo e Paraná com águas de dois afluentes: do rio Pirapozinho (SP) é a água mais clara e do rio Pirapó (PR) é a água barrenta)

Rio Paranapanema na divisa entre São Paulo e Paraná com águas de dois afluentes: do rio Pirapozinho (SP) é a água mais clara e do rio Pirapó (PR) é a água barrenta)

Hidrelétrica Chavantes no rio Paranapanema na divisa entre São Paulo e Paraná

Hidrelétrica Chavantes no rio Paranapanema na divisa entre São Paulo e Paraná

Rio Itararé em Ribeirão Claro (PR) na divisa entre São Paulo e Paraná. Reservatório da hidrelétrica Chavantes

Rio Itararé em Ribeirão Claro (PR) na divisa entre São Paulo e Paraná. Reservatório da hidrelétrica Chavantes

Confluência do ribeirão da Fartura com o rio Itararé em Ribeirão Claro (PR) na divisa entre São Paulo e Paraná, ilha fluvial com margens secas. Reservatório da hidrelétrica Chavantes

Confluência do ribeirão da Fartura com o rio Itararé em Ribeirão Claro (PR) na divisa entre São Paulo e Paraná, ilha fluvial com margens secas. Reservatório da hidrelétrica Chavantes

Cachoeira Salto do Cavalcanti no rio das Cinzas em Tomazina (PR) e mata ciliar

Cachoeira Salto do Cavalcanti no rio das Cinzas em Tomazina (PR) e mata ciliar

 

Crédito das Fotos – Fotógrafo: Raylton Alves

 

A história da Lei Estadual n. 10.488 de 1999: Dia do Rio Paranapanema

Aprovada em 1979, a Lei Estadual n. 2090 de 27 de agosto impôs restrições às atividades industriais em faixas de terras circundantes à Represa de Jurumirim, proibindo a instalação e funcionamento de indústrias de alto risco poluidor na bacia de drenagem do Rio Paranapanema. Na época, o objetivo desta lei (que, por infortúnio, teve todos seus artigos vetados, tornando-a sem efeito), foi preservar os recursos naturais da bacia, mantendo assim suas características físicas, químicas e biológicas.

Com essa essência, a data escolhida para homenagear o rio foi a mesma da Lei n. 2090 de 27 de agosto, uma vez que a mesma tinha como nobre intuito evitar modificações e promover a preservação da bacia como um todo, mas, antes de tudo, ressaltou a importância das águas límpidas e das belezas naturais locais.