Inovação e transparência regem as palestras do Encob

As palestras e mesas de diálogo deram sequência ao Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas (XX Encob), no segundo e terceiro dias de evento. Cada dia contou com um tema, explorado em palestras e experiências exitosas.

A terça-feira (21), foi o dia da Inovação. Nesse sentido, a parte da manhã contou com a palestra O Brasil que cuida de suas águas: construindo as bases para o Programa Nacional de Revitalização de Bacias Hidrográficas, ministrada pelo representante do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Renato Ferreira.

Tendo como perspectiva que a revitalização se apresenta como uma oportunidade para a implementação da Agenda 2030, por contribuir com a melhoria das condições de oferta de água, em quantidade e qualidade, integrando a gestão das águas com a gestão ambiental e demais políticas públicas, segundo Ferreira, pretende-se a criar sinergias, otimizando esforços institucionais e investimentos, tendo a bacia hidrográfica como unidade de planejamento e gestão.

Na sequência, a Diretora Geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas, Marília De Melo, falou sobre Inovação para a gestão sustentável dos recursos hídricos. O membro do Grupo de Trabalho de Acompanhamento do Plano Integrado de Recursos Hídricos do Paranapanema (GT Acompanhamento), Luis Sérgio de Oliveira, a palestra contextualizou de forma clara de como o sistema funciona e como pode se buscar melhorias na gestão. “Eu cresci bastante participando desta palestra. A gente se anima em participar do sistema. Sabemos que temos vários desafios, ouvir as várias experiências renova o nosso fôlego para continuar essa caminha junto aos Comitês de Bacias”, destaca.

Entre os cinco cases apresentados, representando a Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), o vice-presidente do CBH Paranapanema, Vandir Pedroso, falou sobre Reuso da Água na Indústria e Legislação. Entre outras coisas, Pedroso mostrou como ampliar a utilização desse tipo de água. “Outras fontes de água de reuso podem oferecer a água para aproveitamento industrial. Por exemplo a água que sai de uma estação de tratamento municipal, de acordo com a sua característica química ela pode ser reutilizada e empregada no setor industrial”, complementou.

O vice-presidente do CBH Paranapanema, Vandir Pedroso, fala sobre água de reúso.

​ A parte da tarde foi marcada pela palestra Comitês no processo de fomento à inovação social na gestão de riscos associados a eventos extremos, explanada pela representante da Universidade do Estado do Rio De Janeiro, Rosa Maria Formiga Johnsson, seguida de cases com a temática inovação.

Transparência foi o tema que regeu as apresentações da quarta-feira (22). Legislação de Recursos Hídricos e Instrumentos de Gestão foi a palestra de contextualização trazida pelo Presidente do CBH Piancó-Piranhas-Açu, Paulo Lopes Varella Neto, seguida de diversos cases que trazem o Ministério Público como ator na gestão de recursos hídricos trabalhando em conjunto aos Comitês de Bacias Hidrográficas.

A tarde, gestão de conflitos foi o tema central, trazido na palestra de contextualização Transparência na Gestão – Estado da arte dos Conflitos, feita pelo representante do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, Anivaldo Miranda, também seguida de apresentação de cases voltados para a temática dentro do território nacional.

Aconteceram também nestes dois dias, concomitantemente as palestras, o Encontro Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental do Estado de Santa Catarina – CIEA/SC; o Fórum Nacional de Órgãos Gestores das Águas; o Workshop experiências de apoio ao funcionamento dos comitês de bacias; o Processo de Certificação do PRÓ-COMITÊS; o Profágua; o Observatório das Águas; o Fórum Baiano de CBHs, a reunião sobre Ações de Capacitação, Comunicação e Fortalecimento dos CERH, a reunião sobre Convergência entre PROGESTAO E PROCOMITES, além das Reuniões setoriais de usuários e sociedade civil.