PIRH Paranapanema é aprovado

No dia 21 de outubro de 2016, o Plano Integrado de Recursos Hídricos (PIRH) da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema foi aprovado por unanimidade pelos membros do CBH-PARANAPANEMA. A aprovação ocorreu durante a 4ª Reunião Extraordinária do Comitê de Bacia, realizada na Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Ponta Grossa (PR). Para os envolvidos, direta ou indiretamente, com a Bacia do Paranapanema foi um dia histórico.

“Se pudesse resumir o sentimento de toda a equipe que trabalhou na construção do PIRH Paranapanema diria que estamos muito felizes, com a sensação do dever cumprido. Temos certeza que o estudo será um instrumento que pautará a política de recursos hídricos para os próximos anos na região e servirá de modelo para o País”, enfatizou Sergio Rodrigues Ayrimoraes Soares, superintendente de Planejamento de Recursos Hídricos da Agência Nacional de Águas (ANA).

Já o secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná, Antonio Carlos Bonetti, destacou a sintonia entre as várias esferas de governo para concretização do PIRH Paranapanema. “Tem sido importante o apoio que a ANA tem dado ao plano, assim como o comprometimento dos órgãos gestores e dos técnicos, que mergulharam no estudo e produziram um trabalho de qualidade. Precisamos, juntos, sociedade e os governos, atuarmos para proteger os recursos hídricos que dispomos”, destacou Bonetti, lembrando de outro ponto importante do estudo. “Não adianta construir um plano excelente e ele ficar no papel. No caso do PIRH Paranapanema já é possível identificar a mobilização para que ele seja implementado.”

De acordo com o presidente do CBH-PARANAPANEMA, Everton Luiz da Costa Souza, um diferencial importante do PIRH Paranapanema é justamente não ter vácuo entre sua conclusão e início da execução. “A intenção de todos os envolvidos com o estudo é que ele seja implementado a partir de agora. Para isso, foi desenvolvido o manual operativo do plano e será criada uma câmara de articulação política, que ficará responsável pelas articulações institucionais, políticas e setoriais para dar prosseguimento à sua implementação”, observou o presidente do comitê.

Após pouco mais de três anos, desde quando foram aprovados os Termos de Referência para orientar a elaboração do estudo, o PIRH Paranapanema foi sendo construído com o apoio dos órgãos gestores, do poder público, dos usuários dos recursos hídricos, das ONGs e da sociedade civil em geral. O ineditismo do plano está justamente na forte mobilização dos Comitês de Bacias Afluentes e na forma como foi elaborado. “Conseguimos construir, de forma participativa e inovadora, um plano que representa a bacia como um todo e não fragmentada em bacias afluentes. O comprometimento de todos foi fundamental para, dentro dos prazos estipulados, concluirmos o estudo e, principalmente, ter a certeza que ele será executado”, afirmou Paulo Soares, representante da Universidade Estadual de Maringá e 2º vice-presidente do CBH-PARANAPANEMA.