Previsão é que nível de água dos Reservatórios da Bacia do Rio Paranapanema abaixe

Até 5 de outubro, reservatórios trabalharão em operação a fio d´água – quando a mesma quantidade de água captada é liberada

A Sala de Situação do Paranapanema voltou a se reunir, por videoconferência, na manhã de hoje (27 de setembro), para apresentar os dados atualizados acerca dos reservatórios presentes na Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema. Desde a última reunião, realizada no dia 13 de setembro, quando as vazões de defluência aumentaram, o nível dos reservatórios abaixou, conforme simulações apresentadas.

Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), no total, o volume de água nos reservatórios da Bacia foi de 40% para 33% da capacidade de armazenamento. Especificamente, após os 14 dias de operação com maior vazão de defluência e poucas chuvas, os reservatórios apresentaram os seguintes dados: Jurumirim foi de 43,75% para 37%; Chavantes de 46,72% foi para 30%; Capivara de 34,23% foi para 27%; e Mauá 36,37% foi para 35%.

As vazões de defluências foram aumentadas devido a interdependências das Bacias. Desse modo, visando contribuir com a hidrovia Tietê-Paraná e a Itaipu Binacional, a liberação de água dos reservatórios foi necessária. O ONS ressaltou que todas as bacias estão passando pelo mesmo problema e, com a falta de chuvas, que registram um índice abaixo da média dos últimos anos, a tendência é que os níveis abaixem ainda mais.

Os reservatórios da Bacia Hidrográfica do Rio Paranaanema estão trabalhando com o seguinte regime de operação:

  • UHE Jurumirim: 350m³/s, até 05/10, passando a uma operação a fio d´água até o final do horizonte, chegando a 30% de armazenamento mínimo.
  • UHE Chavantes: 500m³/s, até 10/10, passando a uma operação a fio d´água até o final do horizonte, chegando a 30% de armazenamento mínimo.
  • UHE Mauá: política de manutenção de nível.
  • UHE Capivara: 1.400m³/s (dias de semana) e 750m³/s (finais de semana), até 06/10, passando a uma operação a fio d´água até o final do horizonte, chegando a 20% de armazenamento mínimo.

Para esta simulação foi utilizado como referência o ano de pior pluviosidade, 2014. Ao fim do horizonte da simulação, será necessária a redução da geração de energia. A próxima reunião acontecerá no dia 11 de outubro, às 10h.

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema e seus CBHs Afluentes participam e acompanham a Sala de Situação. O Comitê tem trabalhado, ainda, na divulgação das informações para a sociedade, e na articulação junto aos atores da Bacia para execução de programas de revitalização.

Sala de Situação

A Agência Nacional de Águas instituiu a Sala de Situação do Paranapanema, onde todos os envolvidos na gestão tomam conhecimento dos dados dos reservatórios e se posicionam acerca das medidas tomadas. O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema e os seis Comitês Afluentes, instituídos nos Estados de São Paulo e Paraná, participam das reuniões e se mobilizam para fomentar ações que mitiguem os desafios gerados com a baixa dos reservatórios.

A Agência Nacional de Águas publica boletins diários sobre a Bacia, que podem ser acessados clicando aqui! , os vídeos das reuniões também estão disponíveis na integra.