Sala de Crise monitora níveis dos reservatórios do Rio Paranapanema

A região da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema passa, desde o ano passado, por um período de poucas chuvas, alcançando os piores índices, segundo os dados da Agência Nacional de Águas (ANA).  A falta de chuva culminou no baixo nível dos reservatórios presentes na Bacia – o menor percentual de armazenamento dos últimos 19 anos para esta época do ano.

O reservatório de Jurumirim, que se localiza no estado de São Paulo, sendo formado pelo represamento do rio Paranapanema e que banha dez municípios no centro-sul do estado, por exemplo, apresentou seu menor nível no mesmo mês. Em fevereiro de 2000,  o volume útil chegou a 29,81%, neste ano, no mesmo mês, o volume registrado é praticamente a metade: 14,46%. Já em Chavantes, o menor índice apontava 26,72%, no ano de 2015, atualmente, o volume está em 18,91%.

Para tratar do tema, com a participação de todos os envolvidos na gestão dos reservatórios, a Agência Nacional de Águas instituiu a Sala de Crise do Paranapanema. Uma das medidas aprovadas é a realização de reuniões periódicas e o monitoramento do nível dos Reservatórios, com o acompanhamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), da CTG Brasil, do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), da Votorantim Energia, da Secretária de Infraestrutura e Meio Ambiente pelo Estado de São Paulo, e do Instituto Aguasparaná, pelo Estado do Paraná. O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema e os seis Comitês Afluentes, instituídos nos Estados de São Paulo e Paraná, estão participando das reuniões e se mobilizando para instituir um sistema de monitoramento e esclarecimento da sociedade sobre os acontecimentos.

Para definir estratégias, como a instalação de uma sala de monitoramento do Comitê, as Diretorias dos sete Comitês de Bacias (CBH Paranapanema e os seis CBHs Afluentes), realizaram reunião no dia 20 de março, em Jacarezinho/PR. Dentre as ações propostas está a participação em eventos e reuniões para apresentar o tema e as medidas que estão sendo tomadas, e a divulgação de um boletim síntese diário para todos os membros dos CBHs, bem como a disponibilização de informações no site do CBH Paranapanema.

Na última videoconferência, realizada em 15 de março, como solução imediata, foi autorizado pelos órgãos competentes que os reservatórios tenham a diminuição da defluência mínima, evitando, assim, que os reservatórios cheguem, em função do baixo nível d’água, ao volume morto.

O monitoramento diário está sendo realizado pela ANA, com uma pequena melhora no nível dos reservatórios, em função das últimas chuvas, mas permanece o estado de alerta em toda a Bacia Hidrográfica. No próximo dia 26 de abril, será realizada mais uma reunião da Sala de Crise para avaliar a situação. A Agência Nacional de Águas publica boletins diários sobre a Bacia, que podem ser acessados pelo link http://www3.ana.gov.br/portal/ANA/sala-de-situacao/paranapanema/paranapanema-boletim-diario, os vídeos das reuniões também estão disponíveis na integra.